Estrutura Curricular


O Curso de Licenciatura em Filosofia apresenta uma estrutura curricular conforme ao que estabelece a Resolução CNE/CP Nº 2, de 19 Fevereiro de 2002, que “Institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de professores da Educação Básica em nível superior.” O curso funciona com carga horária de 2.840 horas, que deverá ser integralizada em oito semestres letivos ou, no máximo, em doze semestres letivos. A integralização em oito semestres letivos configura-se como a ideal, isso porque o estudante cumprirá um mínimo de vinte créditos por período.

                  Distribuição dos componentes curriculares por carga horária

Componentes Curriculares Carga Horária
Conteúdos curriculares de natureza científico-cultural 1.830 hs
Prática como componente curricular 405 hs
Estágio Supervisionado 405 hs
Atividades complementares 200 hs
Carga Horária Total 2.840 hs

1. Formação geral e específica

Para atender as orientações das DCN’s, o curso foi organizado tendo como concepção nuclear uma formação que contempla os conhecimentos filosóficos e epistemológicos básicos da área de Filosofia, e os conhecimentos da área pedagógica. A formação filosófica prioriza as disciplinas já mencionadas nos documentos oficiais de 1962, e que, na atualidade, constituem ainda uma parte essencial da formação do filósofo; o elenco tradicional das disciplinas é: História da Filosofia, Teoria do Conhecimento, Ética, Lógica e Ontologia. Entretanto, tendo em vista o desenvolvimento da Filosofia nas últimas décadas, considerou-se necessário contemplar algumas áreas cujo ensino hoje não poderia ser negligenciado. Assim, também compõem a matriz curricular do curso disciplinas como: Filosofia Social e Política, Filosofia da Ciência, Estética e Filosofia da Linguagem.

No decorrer do curso, são ofertadas as disciplinas da formação do docente: os conhecimentos da Psicologia, da Didática, e da educação, de forma geral e específica, para compreensão do fenômeno educacional e seus condicionantes, visando uma atuação ética e cidadã, além da disciplina de Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS, instituída pelo Decreto Presidencial nº 5.626, que regulamenta a Lei nº. 10.436, de 24 de abril de 2002, sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras, e o art. 18 da Lei nº. 10.098, de 19 de dezembro de 2000.

2. Prática como componente curricular

A prática como componente curricular é contemplada através das oficinas de atividades filosóficas, e tem como objetivo, em espaço-tempo pedagógico apropriado, a promoção de um estudante prático-reflexivo. As atividades adotam a competência como concepção nuclear e buscam a coerência entre a formação oferecida e a prática esperada do futuro professor; e recorre, para tal desiderato, ao princípio metodológico da ação-reflexão-ação bem como a estratégias didáticas calcadas em situações-problema.

A formação docente, amparada pela legislação em vigor, considera a competência como concepção nuclear no processo de formação dos futuros profissionais em educação; entende que essa competência não pode ser adquirida senão em situações contextualizadas e através do exercício contínuo e constante na resolução de situações-problema através da ação-reflexão-ação; evidencia que os conteúdos adquiridos são suportes para a constituição dessas competências, e o processo de aprendizagem se dá em interação com a realidade e com os demais indivíduos, quando possibilita, ao educando, aplicar, aperfeiçoar e mobilizar, para a ação, seus conhecimentos intelectuais e pessoais.

Visando a contribuir para a construção de competências necessárias à atuação docente, e com a dimensão prática que atravessa todas as etapas da formação, as Oficinas de Atividades Filosóficas I, II, III, IV, V, VI, VII, e VIII, com carga horária total de 405 horas, propõem um espaço curricular de articulação permanente das diversas áreas da formação filosófica e didático-pedagógica, no qual os(as) educandos(as) em formação possam adquirir, mobilizar e colocar em uso os conhecimentos adquiridos e, ao mesmo tempo, outros, de diferentes naturezas e oriundos de diversas experiências sociais e culturais, em tempo e espaços curriculares planejados e acompanhados numa perspectiva interdisciplinar – e, preferencialmente, envolvendo instituições e espaços similares àqueles em que será efetuada sua atuação profissional – bem como em situações do entorno cultural e social, privilegiando estratégias metodológicas tais como: observação, reflexão, resolução de situações-problema, estudo de casos, situações simuladas, pesquisa de campo, elaboração de projetos, uso de tecnologias da informação, da comunicação educacional etc.

Portando, as Oficinas de Atividades Filosóficas I, II, III, IV, V, VI, VII, e VIII pressupõem a postura interdisciplinar entre os(as) formadores(as), e os(as) educandos(as), e entre esses(as) e os espaços nos quais serão planejadas e desenvolvidas as atividades, visando a contemplar os diferentes âmbitos do conhecimento e da formação por competências.

3. Estágio supervisionado

Os estágios supervisionados I, II, III e IV, são realizados em instituições de ensino médio de Mossoró, indicadas pela coordenação do Curso, dentro do espírito pedagógico-metodológico que o norteia o curso, bem como em consonância com os instrumentos normativos e legais que regem a matéria, com o acompanhamento de um profissional com formação na área educacional, bem assim de um docente experiente da instituição campo de estágio.

O estágio supervisionado pauta-se pelo que determina a Resolução nº 36/ 2010-CONSEPE (Conselho de Ensino e Pesquisa) da UERN, de 11 de agosto de 2010, e pelo determinado na Lei Federal nº 11. 788, de 25 de setembro de 20081.

4. Atividades complementares

As atividades complementares correspondem às Atividades Científico-culturais e constituem uma carga horária de duzentas horas obrigatórias na integralização do Curso de Licenciatura em Filosofia, cumpridas ou não no âmbito institucional da UERN, e que serão contabilizadas e cadastradas no currículo discente.

São consideradas atividades complementares as atividades como monitoria, participação em projetos de natureza educacional, produção de material didático-pedagógico, iniciação científica, voluntariado em projeto de iniciação científica, participação em projeto de pesquisa credenciado por órgão de fomento, trabalhos acadêmicos, produção de livro técnico, publicado na área da filosofia ou em área correlata (autoria), apresentação de trabalhos em congressos, publicação de trabalhos em Anais, participação em eventos acadêmicos na área de Filosofia e Educação, atividades desenvolvidas na área de Filosofia ou correlata, entre outras.

O acompanhamento dos discentes, além do atendimento usual e rotineiro, realizado pelos docentes, será feito pelo Coordenador Pedagógico/Orientador Pedagógico do Curso, a quem compete diretamente verificar o processo de aprendizagem de cada um e, sobretudo, constatar a assimilação ou dificuldades no aprendizado.

5. Trabalho de conclusão de curso – TCC

O Trabalho de Conclusão de Curso consiste em monografia sobre um único tema filosófico, resultado de investigação científica metódica e rigorosa. Seu objetivo principal, além de ser um trabalho de conclusão de curso, é o de estimular o aluno à prática da pesquisa, da leitura e da escrita, proporcionando-lhe profundidade de reflexão, interpretação e tratamento dos principais temas e questões filosóficas.

Para tanto, a Monografia é compreendida como um trabalho sistemático completo, com a abordagem reduzida a um único assunto, dentro do universo filosófico, ou seja, a delimitação de um tema-problema, visto que sua respectiva profundidade de tratamento se constitui em uma de suas principais características.

A Monografia deve ser escrita em linguagem científica, clara e objetiva. Deve se adequar, em sua apresentação e estrutura formal, às regras da Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT, à normatização e aos padrões do Departamento de Filosofia. Ela deve, também, ser desenvolvida com a supervisão e o acompanhamento de um Professor (a) Orientador (a).


Atualizado por: Priscilla Rayanny Alves Saraiva em 10/10/2018 (Setor para Contato: FAFIC - Departamento de Filosofia )

Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN
Campus Universitário Central, Rua Professor Antônio Campos, s/n, BR 110, km 48, Bairro Costa e Silva - Mossoró/RN | 59600-000 | dfi@uern.br | (84)3315-2194
© 2012 Agência de Comunicação da UERN - AGECOM | agecom@uern.br | 84 3315-2144 / 3315-2115 | Sistema de Controle de Páginas

^